quinta-feira, 23 de abril de 2009

Para as ondas do mar dele







O Guincho


Não era para escrever cá tão logo, Carlos, mas ao saber que partia ao fim à sua Comala particular, fiquei entre a alegria e a tristeza, egoísmos meus da felicidade sua. Lembrei então a estrela, onde há tempo (tanto ou nada) nos encontrámos, e saí a procura-la na noite, pelos caminhos escuros onde a ausência de luz permite distinguir melhor os sons, só por ver se entre grilos, rãs e o sussurro do vento na folhagem que anuncia chuva para amanhã me brindavam as notas com que lhe inventar uma melodia. Foi este concerto que ouvi e roubei, só para si, como um bater de ás que o eleve sobre o Atlântico, por cima do seu Rochedo e da admiração minha.

24 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Muito obrigado Sun Iou Miou. Pela fotografia, pela excelente escolha musical e, acima de tudo, pela sua simpatia e amizade ( ainda que virtual) que se foi construindo ao longo deste tempo.
No entanto, creio que me expressei mal. Vou só até lá e dentro de pouco mais de uma semana estarei de volta. A partida definitiva nunca será antes do fim do ano. Vou só preparar umas coisas para, quando for definitivamente, me sentir mais confortável.
Nestes dias de ausência deixarei uns posts agendados e a Martinha irá lá dar uma ajuda.
Mais uma vez, muito obrigao por tudo. Até breve!

Tá-se bem! disse...

Sun Iou, e eu venho deixar-te um sopro de bons encontros ;)

Entretanto vai preparando a mesada (se é me entendes.. cof.. cof)

beijooo de sexta!? Again? :|

Sun Iou Miou disse...

Então, Carlos, é só um passo à felicidade, mas mesmo assim, a onde quer que for, não esqueça procurar uma via de comunicação para que a instalação definitiva não seja um adeus, mas um olá de novo. Até!

Sun Iou Miou disse...

A mesada está preparada, Tá-se bem!, mas repara que a crise nos atinge a todos e a ninhada nova não se vai criar em tão ricas palhas. E ensina a gata a usar preservativo, duma vez por todas.

Beijo de véspera dum dia de Abril...

Teté disse...

Partidas e chegadas, tornam-se cada vez mais difíceis! Já não bastam as outras?

Li num post do Rochedo um assunto em que ainda pensei escrever. Mas toda a história está mal contada, não vale a pena atirar mais achas para uma fogueira de contornos ainda indefiníveis... (`_´)

(gostei muito do blogue, mas ainda bem que voltaste, mais que não seja para abrires este parêntesis)

Beijoca!

Anónimo disse...

"Lembrei então a estrela... e saí a procura-la na noite, pelos caminhos escuros onde a ausência de luz permite distinguir melhor os sons, só por ver se entre grilos, rãs e o sussurro do vento na folhagem que anuncia chuva para amanhã me brindavam as notas com que lhe inventar uma melodia"...

Eu costumo dizer do Lobo Antunes que, do mesmo modo que quem anda na companhia de um coxo, acaba por coxear também, assim ele (Lobo Antunes), de tanto lidar com loucos, por vezes parece-me um pouco "coxo" da cabeça, mas ainda que nem sempre seja fácil acompanhar os intrincados enredos das suas histórias, duas ou três tiradas literárias dele, valem pelo livro todo.
Não sei se me fiz entender...
Beijinho.

(Lobos Antunes há muitos, mas refiro-me ao Lobo Antunes escritor a tempo inteiro e psiquiatra nas horas vagas eheheh)

Sun Iou Miou disse...

Pois, Teté, tanto andar bater em portas virtuais de casas que ficaram vazias por vezes resulta doloroso. Felizmente, a vantagem disto aqui é que as distâncias (havendo internet, é claro) não contam.

O Rochedo do CBO é uma das minhas paragens diárias e, verdadeiramente, por muito que me alegre que vá por fim a onde quer ir, vou ter saudades dele se desaparece da blogosfera.

Do resto, ando com muito nada que dizer, de aí a pausa.

Beijo e bom fim de semana

Sun Iou Miou disse...

Deixa ver se te entendi, Cão(somente). Que de tanto andar por blogues bem escritos, de quando em quando (e atirando a embrulhada incomestível restante à lixeira) ainda se me salva alguma frase ou outra...?!
%&#*!

Ah, mas o texto que colaste é verdade verdadeira. Saí a passear mesmo na noite, para pensar em algo que dizer, por caminhos sem iluminação eléctrica. Adoro fazer isso, deve ser o Lobo (neste caso a "loba", sem Antunes) que há em mim.

Hehehe! Mas que sou coxa da cabeça, ai, isso sou.

Beijinho

Anónimo disse...

Vexo que están a falar das súas cousas e non quero meterme onde non me chaman. Só entro para saudar e avisar de que non me enterren, que aínda vivo. :-)

Sun Iou Miou disse...

Entón para que estamos aquí, Kaplan, mais que para falar das nosas cousas ou inventalas se a realidade non dá para máis?

Ten vostede bula para meterse onde non o chaman e incluso máis aló. E non crea que non era malo o oficio de enterradora, nos tempos que corren, ou mellor dito, galopan -enterradora doutros, explicito, que de enterradora miña xa exercín veces sen conto e sen éxito.

Cóideseme e poña un cravo vermello, cando menos mañá (e sempre) nese fusil.

Anónimo disse...

Quando vou ao Alentejo gosto de parar no caminho a ver aquele céu limpo e estrelado como não se vê na cidade. Mas dos melhores céus que vi até hoje foi nos Alpes, na fronteira entre a França e a Itália, numa povoação (La Vachette) pertinho de Briançon,a cerca de 1400 metros de altitude. O camping ficava fora da aldeia e sem iluminação e com menos 1400 metros de poluição atmosférica, as estrelas pareciam diamantes. Apesar do frio que fazia (mesmo no mês de Julho ficava muito frio à noite), ficávamos até tarde a tentar absorver aquele céu e trazê-lo para Lisboa.
São estes pequenos pormenores que fazem a diferença entre acampar na praia ou na montanha. E mesmo com dores nas costas, tenho muitas saudades da década de 90, quando em Setembro me sentava com um mapa à frente a fazer planos para as férias do ano seguinte. Que belas "vacaciones" nos Picos de Europa, nos Pirenéus… Monte Perdido, La Pineta, Cerler (no pico de Cerler, ao fim de meio dia a trepar, encontramos um grupo de gallegos que nos conheceu pela pronúncia). Nos Pirenéus atlânticos, em Navarra, fiquei a saber (pelo recibo do camping) que cliente se diz "bezerro" (não sei se eles falam basco…).
Os citadinos são como os frangos de aviário, nunca viram um céu a sério eheheh.

Beijinho

Sun Iou Miou disse...

A começar pelo final, Cão(somente), é assim, "bezero" é cliente em basco, tu é que sabes se lhe devias acrescentar um "r", hehehe!

As estrelas "pareciam" diamantes? Ainda bem não são, do contrário já não restaria uma no céu.

Tá-se bem! disse...

Parece que encontrei (depois de alguns contactos) uma solução para a gatita e seus bebés!

Amanhã confirmo! Tomara que assim seja para bem de todos! :)

Beijoooo de um dia depois :)
(desta vez são 6 gatitos... mais um que da primeira)

Anónimo disse...

Bolas, até falas basco! eheheh
Pois se dizes que é bezero,eu acredito. Já foi há tanto tempo que se fosse "bezerro" há muito tinha sido promovido a boi eheheh.
Beijinho

Sun Iou Miou disse...

Alegro-me, Tá-se bem! Confirma, então, que invisto a mesada em whisky e tinto. (`_´)!

Beijinho grande de domingo mais aliviado, espero!

Sun Iou Miou disse...

Não, Cão(somente), não falo basco. Mas há muitos anos (não vou dizer quantos, mas menos de 500), tentei aprender (mania esta minha com os idiomas) e comprei dicionários, gramáticas e tudo o mais. Depois desisti porque é um idioma muito muito complicado (e olha que o diz uma pessoa que já navegou pelo russo, o árabe, o chinês e o japonês, por citar os mais exóticos) e não via que o fosse utilizar nunca. De maneira que simplesmente consultei o dicionário. (`_^)

Em galego e em português, "boi" usa-se para o touro capado mas também para o semental. Em espanhol "buey" é sempre o bicho capado. Estás avisado, não vás ir presumindo de "buey" quando atravessares a fronteira.

Beijinho

PreDatado disse...

Uma bonita mensagem para o Carlos. De facto o Rochedo dele é muito bom.

Sun Iou Miou disse...

E factos são factos, PreDatado. Mas parece que ele não nos abandonou ainda, só foi preparar o terreno.

Tá-se bem! disse...

Sun Iou, confirmo que podes gastar a mesada em beberagens divinas.. (depois envio mail a explicar... como foi)

Beijoooooo de terça ainda :)

Ah! tens lá um prémio arrepiado! hihihi ;)

Sun Iou Miou disse...

Ainda bem, Tá-se bem! (E agora ta-se bem-bem, dom-dom!), que já me tremiam as mãos e não era medo. Vou lá calmar o tremelique com uma garrafita de malte, que o dia é longo e incerto.

Beijo de quarta ainda escura!

Prémio? Só se for em etílico recolho, que já estou a imaginar que é o tal gato arrepiado que anda pela rede, e gatos, como pobres, é coisa, já viste, que se reproduz à toa. São Roquinho nos livre desse mal! =^.^=

Rafeiro Perfumado disse...

Não seria melhor oferecer-lhe uma bóia?

Sun Iou Miou disse...

Bóia não precisa, Raf, que o Carlos sabe nadar em águas bravas...

Anónimo disse...

Ai como tu andas, que já trocas os comentários eheheh.
E aquela imagem, ia apostar que é no Guincho, com a Serra de Sintra ao fundo.
Beijinho.

Sun Iou Miou disse...

A desmemória prega estas jogadas, Cão(somente).

Até podias apostar que era a Serra de Sintra com o Guincho à frente, que ganhavas um prémio. Azar! Não apostaste... (`_^)

Beijo