segunda-feira, 7 de junho de 2010

De sortes e azares









Eu dígovos que son afortunada. Mesmo, mesmo. Vós crédeme. Levo, calculo que, catorce anos nesta casa e sempre sempre limpei a parte do camiño que corresponde ao meu valado, coma calquera outro veciño, sen máis remedio nin mérito. Botei parte considerable (adxectivo subxectivo) da fin de semana a cortar a herba no eido e só non cortei e limpei por fóra porque ese é labor para a rozadoira, que emprestei e aínda non me devolveron (xa vos estou vendo, non me critiquedes isto que non é a cuestión senón a salvación). E non foi que esta mañá apareceu unha cuadrilla con rozadoiras a limpar o camiño?

Non fose polo abenzoado que non me devolveu o trebello, estábame eu suicidando un pouco neste momento!

30 comentários:

Rafeiro Perfumado disse...

Mas pelo menos ficaste com a satisfação do trabalho feito. E com bolhas nas mãos...

Abracinho!

Sun Iou Miou disse...

Bolhas na alma, Rafeiro!

Abraço titânico!

Marreta disse...

Destas sortes não tenho eu! Todos os fins-de-semana espero que apareça uma "cuadrilla" armada de balde e esfregona, pá e vassoura, pano e detergente, mas nunca aparece...

Saudações azaradas do Marreta.

Sun Iou Miou disse...

E às segundas-feiras que aparece a "cuadrilla", Marreta. Na próxima, espera até a fim de semana passar. Vais ver como é que é bom! ;)

Maria José Meireles disse...

podes traduzir-te?

Sun Iou Miou disse...

Poderei, Maria? Depois à noite, tentarei (mais um trabalhinho para as nocturnidades aleivosas). ;) (Mesmo que já prometi desprometer.)

Anónimo disse...

Para que logo digan que a procrastinación é perniciosa!
Deixara vde para mañá a roza e vería como tiña os cadrís (e o orgullo) máis descansados.
Que lle quere? Desas a min pásanme a diario

Sun Iou Miou disse...

Pronto, Maria. A coisa, mais ou menos, foi assim. Passei a tarde de sábado e parte da manhã de domingo a fazer barulho coma a corta-relva no quintal. Ficou-me por limpar o muro por fora, do lado do caminho, porque para isso a corta-relva não, precisava da roçadoira, que deixei a meu irmão e ainda não me devolveu por questões que não interessam. Limpar a parte do caminho que dá no meu muro é coisa que levo fazendo (enganei-me no texto, é mais tempo) desde que comprei o quintal (a casa foi feita depois). Sempre foi assim. Todos os vizinhos fazem isso para que a relva e as silvas não comam os caminhos. De maneira que não fosse que não tinha a roçadoira, ontem teria passado mais uma hora a trabalhar, a limpar o muro. E eis que esta manhã, por primeira vez, apareceu um grupo de homens (imagino que foi coisa da Câmara Municipal) a limpar com roçadoiras os caminhos de aqui. Imagina! Pronto, é um exagero a última frase: "Não fosse pelo bendito que não me devolveu a roçadoira eu ia-me suicidando um bocado destas horas!" ;)

pau disse...

Isso é que é sorte! E mesmo sorte dessa inversa: o fato de teu irmao nao ter trazido de volta a ferramenta converteu-se numa bendiçao.. nunca se sabe onde vai saltar a sorte para nos alegrar o dia, nao é?

Sun Iou Miou disse...

Se o choio me saíu ben ao final, Kaplan. E os cadrís aínda me aguantan iso e máis. O que non me aguanta tanto é paciencia coa herba, que medra como se comese petisuises.

Sun Iou Miou disse...

Pois, Pau. E a pouca gana que tinha eu de limpar o valado por fóra. Agora a ver se isto continúa así ou foi un espellismo (estamos xa en campaña?). ;)

Maria José Meireles disse...

ok

xenevra disse...

máis que forte foi a sabia intervención do teu irmán, que no seu despiste, contribiu para que ti non deixases os cadrías na pista. Que isto non te vicie para empezar a deixar todo sen ter conta ;)

xenevra disse...

pon forte, mais o que tiña que poñer era "sorte" . glups

R.R. disse...

Traballo feito é descanso (dixeron os da cuadrilla).

Teté disse...

Eh, sortes dessas não é todos os dias. Não sendo o mesmo que ganhar o Euromilhões ou "El Gordo", pelo menos sempre te poupou algum trabalho. Que venham mais assim...

Beijoquitas!

Sun Iou Miou disse...

Ok mais ou menos, Maria, que não tradução, mas síntese atrapalhada. E não é o mesmo. Nada não é o mesmo que tudo.

Sun Iou Miou disse...

Que a cuadrilla limpe o camiño de agora en diante non implica, Xenevra, que me vaia limpar o eido, digo, porque iso máis ca sorte ou despiste de ninguén, sería alteración na orde imperfecta das cousas.

Sun Iou Miou disse...

Traballo feito non corre presa, en versión de por aquí, don Trepan.

Sun Iou Miou disse...

Pois, Teté, mas se fosse uma lotaria dessas, até dava para pagar uma cuadrilla a limpar o quintal também para o resto dos dias, que o dinheiro não dá a felicidade mas folga ao corpo. ;)

condado disse...

Nos asfaltan el cerebro y nos cuidan las margaritas de las orejas... estaba mejor antes ese camino de los borrachos con el río al fondo...

Sun Iou Miou disse...

Non mo recordes, Condado: o Camiño dos Borrachos deixou de existir. O Collón de Fontiala xa non é o que era. Xa só falta que empichen a ribeira.

Kapikua disse...

Eu ficava lixado se isso me acontecesse!

Então anda uma pessoa a mentalizar-se para pegar na roçadora e depois vêm uns xicos-espertos e roçam o mato todo?

Está bem está! Comigo estavam feitos!
Teriam de me pagar uma indemnização pelo ócio em que me puseram...

...e eu odeio ócio!

Beijo grande

Sun Iou Miou disse...

Não tomaste a medicação esta manhã, Kapik? ;)

Beijo ocioso mas muito bem trabalhado.

Kapikua disse...

Tomei pois mas saiu com muita dose de ironia!

Beijo doseado

Sun Iou Miou disse...

Só me dás trabalho em fabricar-te beijos, Kapik.

Beijo desironizado

Kapikua disse...

mas queres trabalhar ou queres ócio?

Trabalhas queixas-te, não trabalhas queixas-te!

Foda-se! Quem te entende mulher?

Toma lá um beijo registado e com aviso de recepção!

Chousa da Alcandra disse...

Pasareille este teu post á propietaria do predio colindante co meu xardín. Estou ata ...a picaña de esmagarlle as silvas para que non me invadan o meu espazo aéreo, carallo!!!

Alexandre de Castro disse...

Esta história demonstra como é errado aquele ditado popular que diz: Não deixes para amanhã aquilo que podes fazer hoje.
Eu, por mim, preguiçoso como sou, diria simplesmente: Não faças hoje o que podes fazer amanhã.

Sun Iou Miou disse...

O Alexandre ainda teve sorte que eu não deixo para a amanhã a bem-vinda a tão acertado comentário. ;)